segunda-feira, fevereiro 06, 2006

é ou não verdade?

Acho que este post serve mesmo para a Cenoura, que não gosta de poesia :o)

Os livros. A sua cálida,
terna, serena pele. Amorosa
companhia. Dispostos sempre
a partilhar o sol
das suas águas. Tão dóceis,
tão calados, tão leais,
tão luminosos na sua
branca e vegetal e cerrada
melancolia. Amados
como nenhuns outros companheiros
da alma. Tão musicais
no fluvial e transbordante
ardor de cada dia.

Eugénio de Andrade, Ofício da Paciência

2 comments:

Virgulina 6/2/06 14:46  

Mas que poética que estás hoje! :op
Eu odeio poesia, mas esta é bem verdade e até gostei! :o)

fantasma 6/2/06 15:00  

Foi das tuas rimas... ;op

A verdade é que ando a ouvir este poema há algum tempo numa propaganda ao programa da Sra. Bárbara Carrilho (noooooojo!) e já tinha andado à procura dele mas só hoje encontrei. Gosto de Eugénio de Andrade, e este é muito apropriado a "nós" :o)

  © Blogger template 'Sunshine' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP