quinta-feira, março 16, 2006

o melhor do ano



... ou assim acharam os membros da Academia. No domingo passado vi o Crash. Sim, o tal que surpreendeu tudo e todos e ganhou aos favoritos 'cóbois' como Melhor Filme de 2005. Ainda não vi o Brokeback Mountain por isso não posso dizer se foi bem ganho ou não e de qual gosto mais, mas posso pelo menos dizer que gostei deste.

E tal como li não sei onde, deviam criar um prémio que fosse para o melhor conjunto de actores num filme, além do que já existe no Reino Unido para "Outstanding Performance by a Cast in a Motion Picture" -
The Screen Actors Guild Awards, tal como ganharam este não me parece que fossem falhar outros. É difícil apontar alguém que sobressaia mais no filme, embora uns apareçam mais minutos que outros cada um tem o seu papel a desempenhar, um sentimento ou reacção que personaliza.

Diversos personagens com backgrounds raciais e sociais diferentes colidem num dia, num incidente, mesmo que não se cheguem a cruzar entre si. Cada um tem os seus estereótipos diferentes na sociedade, e que afectam as suas crenças e acções. E é um ponto da vida de cada um, da maneira de ser e pensar, que nos é mostrado. Muito racismo. Bastante violência se bem que subliminar. Uma outra história por detrás da imagem inicial que nos é dada de cada personagem. Não sei se o melhor filme de 2005, mas sem dúvida um filme diferente do comum 'hollywoodesco', que nos deixa a pensar, que nos toca.

Só uma coisa a mim me fez confusão... Para quem viu o filme, e sem querer meter spoillers por aqui: a cena em que o casal é mandado parar pela polícia, e que acontece aquela cena do polícia com a mulher, e o marido não faz nada. Mais tarde ela está magoada com a falta de reacção dele, discute, é ele que se faz de chateado, no dia seguinte ela acaba por lhe pedir desculpa. Calma aí!! Eu até entendo que lhe fosse difícil ter uma atitude, afinal de contas era a polícia, armas, etc e tal. Mas como é que um tipo deixa que façam aquilo à mulher, nas "barbas" dele, sem reagir, sem pelo menos lhe pedir desculpas assim que possível, e ainda deixa que seja ela a rebaixar-se e a pedir desculpas a ele?! A menos que a ideia do filme fosse essa, que também nos deixasse a pensar sobre isso... ????????

5 comments:

Virgulina 16/3/06 15:32  

Tenho-o lá para ver, mas ainda não chegou a vez dele. ;o)

papalagui 16/3/06 18:58  

Eu acho que a ideia é mesmo essa, deixar-nos a pensar.

Patrícia 17/3/06 00:13  

Acho que ela lhe pede desculpas, nao por ele nao ter feito nada, mas por todas as acusacoes que lhe fez quando em casa discutiram e quando ele lhe tentou explicar porque razao nao fez nada. Acho que essa e mais uma das nuances do filme, ele nao ter feito nada, mas nao ter exactamente uma explicacao concreta para isso, no fim foi apenas medo que o impediu de agir, quanto a mim. Eu ja vi o filme ha muito tempo, nao me lembro exactamente do que foi dito, mas pronto.
Tambem gostei muito do filme, porque nos consegue mostrar, que por mais que nao queiramos, todos nos acabamos por ter preconceitos em certas ocasioes.

fantasma 17/3/06 10:49  

Pois, deve ser mesmo mais uma coisa propositada do filme.
E sim, preconceitos todos temos sempre, mesmo que pensemos que não...

terpsicore 21/3/06 23:50  

fui ver ontem,e eu realmente percebo que ela lhe tivesse pedido desculpas,porque ela é que se pôs primeiro a provocar o polícia, e ele só precisava que lhe dessem uma desculpa.
E quando ela pede desculpa ao marido, paereceu-me que a atitude dele foi de alguém que estava envergonhado por ter tido de deixar que a mulher fosse humilhada daquela maneira.
Mas pronto, eu tambem fartei-me de ouvir durante a minha infância:preta da guiné lava a cara com chulé e habituei-me a que me olhem de lado nos supermercados quando manuseio a fruta com todo o cuidado enquanto não ligam nehuma a pessoas brancas que tratam a fruta às 3 pancadas.Por isso talvez me seja mais fácil entender aquelas tensões.

  © Blogger template 'Sunshine' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP